21.12.08

Life is so sweet

| Chamuscado por Laritz |






Ontem fomos novamente ao show da Madonna! Oito amigos na van, divididos entre pista e arquibancada. Muitas risadas, muitas palminhas 'Maria do Céu' (piada interna), muito calor humano e muita emoção com a diva. E, assim como quinta-feira, tudo foi perfeito! Dançamos, pulamos, vibramos e nos emocionamos.

Chegamos por volta das 15 horas e as filas já estavam assustadoramente maiores do que quinta-feira. Andamos, andamos e parecia que nunca encontraríamos o fim. O sol estava escaldante e deu até para bronzear. Ficamos sentados no asfalto, esperando os portões se abrirem, atualizando as conversas e rindo muito dos tipos bizarros. Dessa vez, conseguimos ouvir a passagem de som, o que deu uma boa animada na galera. Quando a fila andou, até cooper fizemos - com direito a alguns engavetamentos humanos.

Dentro do estádio, optamos por ficar afastados da muvuca, assim teríamos uma visão mais global do espetáculo. Como acontece muita coisa ao mesmo tempo no palco e os telões focalizam a diva mais de perto, acertamos em cheio e assistimos a tudo maravilhosamente bem. Como já havíamos feito um test-drive quinta-feira, sabíamos que era importante permanecermos sentados, poupando energia, antes do início. Armamos um círculo humano no chão e lá ficamos. Não levantamos nem durante o set desanimador do Paul Chatofold, que simplesmente repetiu todas as músicas do primeiro show. Foi como se colocasse o mesmo cd para tocar - mudando apenas no final, quando apelou para Marcelo D2. A platéia também manteve a antipatia: todo mundo parado, olhando com cara de interrogação para aquele sujeito sem graça de cabelo chanel, e logo começaram os acenos de tchau para que encerrasse aquela tortura sonora.

Nossa rodinha se tornou atração no meio da pista. Para evitar que nos pisoteassem, especialmente quando algum integrante da turma fosse ao banheiro, fizemos um círculo, logo apelidado de 'Cabala da Madonna'. Quando aparecia algum vendedor ambulante (foi impressionante a quantidade de gente vendendo bebidas lá), dávamos as mãos e dizíamos, em coro: não quebre a cabala! Depois, já entediados de tanto esperar, inventamos algumas brincadeiras. Quando iniciamos o 'Escravos de Jó', uma multidão se aproximou, nos fotografou e se candidatou para participar. Hilário! Todos mereceram muitas palminhas 'Maria do Céu'.

De repente, as luzes se apagaram e o estádio inteiro ficou parecendo um pisca-pisca gigante de árvore de Natal. O público acendeu isqueiros, abriu celulares e usou aqueles horrendos 'chifres da Madonna' luminosos, vendidos na porta pelos camelôs. Aliás, os produtos comercializados fora do estádio merecem um capítulo à parte: muitas camisetas medonhas, canecas de chopp que faziam trocadilho do nome da musa com marcas de cerveja (brahmadonna), churrasquinho de gato etc. Na rua lateral, havia um puteiro transformado em banheiro. Por dois reais, era possível utilizar o W.C. da casa da luz vermelha, cuja varanda permanecia lotada de umas figuras bem bizarras, como se saídas de livros de Jorge Amado.

O show seguiu a mesma ordem. Começou com os doces projetados no telão e do cubo, que depois foi todo fatiado para lá de dentro surgir a diva, poderosa, sentada em seu trono. Candy shop foi a primeira música e Give it 2 me, a última. A diferença ficou por conta da escolha do fã. Um rapaz, espertamente, levou uma faixa com seu nome - Ronaldo - e acabou convocado pela diva. No entanto, ela recusou sua sugestão: Open your heart. Outro fã pediu Holiday, e ela também rejeitou. Voltou ao primeiro, que então recomendou Express yourself, porém não teve a mesma graça do Like a virgin de quinta-feira.

Diferenças entre os dois shows: sábado foi mais confortável para nós, pois sabíamos melhor como esperar pelo show, embora a platéia fosse composta por mais curiosos. Na quinta-feira, todos cantaram todas as músicas, enquanto ontem notei muita gente só dançando ou mesmo parada, observando a diva. No segundo show, Madonna conseguiu ser ainda mais simpática e calorosa com São Paulo. No entanto, não usou novamente a camisa 10 da Seleção Brasileira - o que deu a impressão de que poderia estar gravando o dvd da turnê. Parece que ela gostou mesmo de tocar aqui. Esperamos que volte na próxima!

Hoje, até pensei em assistir ao encerramento da Sticky & Sweet (no sábado, havia cambistas vendendo ingressos de pista por 100 reais), mas não tive forças nem voz, e confesso que fiquei assustada com a chuva. Mas o Serginho, heroicamente, encarou mais uma fila e me narrou alguns momentos por telefone: os portões foram abertos antes e o público assistiu aos ensaios. Puro delírio o mini-show da diva! E, por incrível que pareça, Paul Chatofold repetiu o mesmo set pela terceira vez consecutiva. E, novamente, foi enxotado do palco com os tchaus do público. Foi o maior atraso até agora: ela só entrou às 22h20.

Que não foi perdeu um show maravilhoso e uma performance arrasadora. Estou muito feliz por ter assistido duas vezes, o que me permitiu visões diferenciadas do espetáculo. Eu fecho os olhos e me sinto ali, no meio daquela energia maravilhosa com todos cantando músicas que marcaram época, a exemplo de Borderline, Vogue, La isla bonita, Music e Like a prayer. Com certeza, foi um presentão de Natal!

4 comentários:

Pezzolo disse...

lindo! lindo!
q bom ter alguém descrevendo estes momentos da nossa vida!
olha, acho q amanha esse texto aparece no fotolog... e viva a caballa

Ely disse...

Foi TUDAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!!!

Pena que não participei da caballa artísteca.

mas tudo bem!

2 dias de show foi o suficiente... quando cheguei em casa tive vontade de arremessar o CD dela pela janela. Madonna é foda, mas a funça pra ver a diva cansa!

Dois dias foram mais que o suficiente para saber quâo boa ela é.

Fiquei sabendo que o Brasil está incluso na próxima turnê.

SERÁ??? (figuinhas!!!)

Leonardo disse...

Oi Lara. Deve ter sido divertido no sábado. Quando começou a chover, pensei logo em vcs. Fora que ontem também choveu.

Gostei dos comentários do show de sábado, e a comparação com o de quinta.

Agora resta esperar uma nova vinda dela em Terras Brasilis !!!!!

Será ????????????

Leonardo disse...

Esse DJ Paul Chatofold, eu vou te falar. Vai enganar bem lá em Londres viu !

Quanto ao próximo show dela. Tô dentro. Pode colocar meu nome na lista de presença já, hahahahahaha.

Blog Widget by LinkWithin
Subscribe