4.3.09

Direitos Humanos

| Chamuscado por Laritz |

Já escrevi sobre o belíssimo filme Milk - A Voz da Igualdade e comentei que Harvey Milk não lutou apenas pelos direitos dos homossexuais, mas de toda a humanidade, ao pregar a igualdade e o respeito entre as pessoas. O ator Sean Penn, ganhador do Oscar por sua impressionante interpretação, encampou a luta e iniciou campanha política para que o Estado da Califórnia oficialize um dia em homenagem ao ativista gay.

Enquanto isso, no Rio de Janeiro, um homem foi agredido covardemente por dez pessoas, com socos e pontapés, por dar um selinho em outro homem. Eu, que tenho incontáveis amigos gays, lamento que seja preciso recorrer a leis para resguardar os direitos dos seres humanos apenas porque são de raças, credos e sexualidades diferentes. O respeito ao próximo deveria ser natural, e não imposto por decreto. Ninguém deveria se preocupar com a vida privada do vizinho. O mundo seria mil vezes melhor se imperassem três palavras: liberdade, igualdade e fraternidade. Afinal, temos ou não temos o tão falado livre arbítrio?

2 comentários:

GF disse...

O problema é da impunidade. Ninguém é punido, no País, por afrontar as leis. O Judiciário é indulgente, não gost de condenar, de apenar mais severamente. E nossos representantes, a maioria corrupta, teme criar mecaniusmos para punir infratores. Assim, não se respeitam direitos humanos. É mais fácil correr atrás de fumantes como se eles fossem os responsáveis por todos os malefícios do País.

Fernanda disse...

Está aí uma coisa que não consigo entender. Não entra na minha cabeça como uma pessoa pode agredir outra por uma coisa que não a atinge pessoalmente e não lhe diz respeito.

Belo post, amiga. Assino embaixo.

Blog Widget by LinkWithin
Subscribe